Saúde

Nutricionista apucaranense fala sobre manipulação e o preparo corretos dos alimentos

Medidas simples fazem toda a diferença na hora de cozinhar

É comum pensar na higiene da cozinha de restaurantes, bares, lanchonetes e até do carrinho de lanche da esquina. Porém, já parou para pensar se o jeito que você manipula e prepara os alimentos na sua casa é o mais adequado?

Veja também:  Ingerir muito doce durante a gestação pode trazer males ao feto; entenda:  

Hábitos comuns na hora de cozinhar, como lavar a carne ou não lavar as mãos, pode colocar em xeque a sua saúde e da sua família.

“Pesquisas realizadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Ministério da Saúde (MS) mostram que a maioria das contaminações alimentares acontece dentro de casa”, alerta a nutricionista Mônica Vermelho, instrutora e consultora do Programa de Alimentos Seguros do Senac de Apucarana.

As Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA) ocorrem quando micróbios prejudiciais à saúde, parasitas ou substâncias tóxicas estão presentes no alimento. Os sintomas mais comuns de DTA são vômitos e diarreias, podendo apresentar dores abdominais, dor de cabeça, febre, alteração da visão, olhos inchados, entre outros. Em alguns casos as consequências podem ser graves e até fatais.

É importante frisar que os alimentos não são os vilões, mas sim os hábitos praticados na hora de cozinhar. A nutricionista aponta que a falta de higiene, como não lavar as mãos antes de manipular alimentos, mesmo após usar o banheiro, é uma falha grave e comum.

Outro deslize frequente, segundo Mônica, é deixar panelas com comida em cima do fogão ou dentro do forno o dia todo ou guardá-las diretamente na geladeira, o que compromete a qualidade dos alimentos e facilita a contaminação. A dica é colocar as sobras em recipientes de vidro ou plástico com tampas e guardar na geladeira.

Hortifrúti – Sobre o preparo de legumes, verduras e frutas, a instrutora orienta primeiro lavar folha por folha ou unidade por unidade em água corrente. “Após a lavagem é recomendado deixar de molho em solução clorada por 15 minutos e depois enxaguar em água corrente novamente. O vinagre não serve para matar microrganismos, só como tempero mesmo”, ensina.

Quando o assunto é agrotóxico, Mônica sugere aplicar o fazer o procedimento anterior.

Nutricionista Mônica Vermelho

“Não eliminamos 100% porque o agrotóxico é absorvido pela planta. Livre de agrotóxicos somente os orgânicos”, frisa.

Em alguns casos, a indicação é remover as cascas dos alimentos, parte que concentraria maior percentual de veneno.

Porém, pesquisa realizada pelo Departamento de Ciência Alimentar da Universidade de Massachusetts apontou em uma experiência realizada com maçãs que o uso do bicarbonato de sódio com água ajuda a eliminar agrotóxico presente na casca.

CARNES EXIGE ATENÇÃO ESPECIAL

Quando o assunto é o preparo de carnes, a nutricionista Mônica Vermelho, instrutora e consultora do Programa de Alimentos Seguros do Senac de Apucarana, chama atenção para alguns hábitos nada saudáveis, mas que são comuns na hora de cozinhar. Um deles é lavar a carne.

“Além de perder nutrientes, tem o risco de contaminação cruzada, que ocorre quando a água espirra e atinge louças, a própria bancada da pia e frutas e legumes que estiverem próximos”, sublinha.

Mônica observa ainda que cada tipo de carne tem um tempo que pode ficar congelada (ver infográfico) e o descongelamento só é seguro em refrigeração. “No micro-ondas ou em cocção só se o preparo for imediato. Jamais em temperatura ambiente. O alimento descongelado só pode voltar ao freezer depois de preparado. Caso contrário, aumenta o risco de contaminação, pois há proliferação de micróbios e bactérias”, diz.

Texto, Vanuza Borges
Fotos – Rodrigo Hirata

Tags
Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker